As gírias do Grafite

Postado por Juliano / Tayla on 19:01 comentários (0)

Writer - Artista que pinta graffiti.

Tag - Nome/Pseudónimo do artista.


Hall of Fame - Trabalho geralmente legal, mural mais trabalhado onde normalmente pinta mais do que um artista na mesma obra, explorando as técnicas mais evoluídas.
Bombing - Graffiti rápido, associado à ilegalidade, com letras mais simples e eficazes.

Throw-up - Estilo situado entre o "tag"/assinatura de rua e o bombing. Letras rápidas normalmente sem preenchimento de cor (apenas contorno).

Auger e Revok
 • Roof-top - Graffiti aplicado em telhados, outdoors ou outras superfícies elevadas. Um estilo associado ao risco e ao difícil acesso mas que é uma das vertentes mais respeitáveis entre os writers



Wild Style - Estilo de letras quase ilegível. Um dos primeiros estilos a ser utilizado no surgimento do graffiti.


3D - Estilo tridimensional, baseado num trabalho de brilho / sombra das letras.
Bubble Style - Estilo de letras arredondadas, mais simples e "primárias", mas que é ainda hoje um dos estilos mais presentes no graffiti.
Characters - Retratos, caricaturas, bonecos pintados a graffiti.
Train - Denominação de um comboio pintado.
Whole Train - Carruagem ou carruagens inteiramente pintadas, de uma ponta à outra e de cima a baixo.
End to end - Carruagem ou comboio pintado de uma extremidade à outra, sem atingir a parte superior do mesmo (por ex. as janelas e parte superior do comboio não são pintadas).
Top to bottom" - Carruagem ou carruagens pintadas de cima a baixo, sem chegar no entanto às extremidades horizontais.
Backjump - Comboio pintado em circulação, enquanto está parado durante o percurso (numa estação por exemplo).
Cap - Cápsula aplicável ás latas para a pulverização do spray. Existem variados caps, que variam consoante a pressão, originando um traço mais suave ou mais grosso (ex: Skinny", "Fat", "NY Fat Cap", etc).
Crew - "Equipa", grupo de amigos que habitualmente pintam juntos e que representam todos o mesmo nome. É regra geral os writers assinarem o seu tag e respectiva crew (normalmente sigla com 3 ou 4 letras) em cada obra.
Cross - Pintar um graffiti por cima de um trabalho de um outro writer.
Fill-in - Preenchimento (simples ou elaborado) do interior das letras de um graffiti.
Highline - Contorno geral de toda o graffiti, posterior ao outline.
Outline - Contorno das letras cuja cor é aplicada igualmente ao volume das mesmas, dando uma noção de tridimensionalidade.
Degradé - Passagem de uma cor para a outra sem um corte directo. Por exemplo uma graduação de diferentes tons da mesma cor.
Kings - Writer que adquiriu respeito e admiração dentro da comunidade do graffiti. Um estatuto que todos procuram e que está inevitavelmente ligado à qualidade, postura e anos de experiência.
Toy - O oposto de King. Writer inexperiene.te, no começo ou que não consegue atingir um nível de qualidade e respeito dentro da comunidad
Spot - Denominação dada ao lugar onde é feito um graffiti.

O Pensamento do Grafite

Postado por Juliano / Tayla on 19:25 comentários (0)


Grafite é arte da rua e para a rua. Seu mundo, seu reino são os centros urbanos; seu suporte são os muros e as paredes. O que faz mover o Grafite é a cor e a forma. Cor que lhe dá vida, luz e movimento; forma, mágica e refinada, com o dom de absorver seus sentidos visuais, levando-nos a refletir sobre seu significado (quando há alguma significação). 
Grafite é estética. A estética do (in) compreensível, do complexo, do (in) inteligível, do impacto. Jatos de tinta vão perdidos no espaço até alcançar seu destino: a superfície: porosa, lisa, irregular, macia. Não importa. Importa sim, o resultado final obtido. O que parecia manchas coloridas, transforma-se em um só elemento: atraente, portentoso, único. O Grafite. 

Passar...Olhar...Estranhar...e não ver mais. Nos dias seguintes, o fluxograma se repete. Só que o fascínio, crescente dia após dia, começa a realçar o seu olhar, e com o passar do tempo (caso dê tempo) você começará a perceber o que aquele enigmático emaranhado de traços e formas pode significar.
O Grafite é frágil, do mesmo modo que aparece ele desaparece, ele pode sumir ou ser apagado, talvez por tinta branca ou até mesmo outro grafite. Sua constante mutabilidade interage com a mutação dos grandes centros urbanos.

O grafiteiro o poder de moldar a vida segundo suas convicções, seus ideais, sua vivência, grafite por ser uma galeria ao ar livre. A principal distinção entre os grafiteiros é a maneira de se expressar, a matéria-prima com que trabalham, sendo importante tentar entender o que se passa na mente de cada artista, o que querem exprimir.

O grafiteiro ensina que não se faz grafite apenas sobre acontecimentos, resgatando algo ou idealizando. Também não se faz só com sentimentos. É preciso penetrar no reino do grafite, refletir sobre o que quer expressar, suas faces secretas e neutras. Pensar em subjetividade, quando a mensagem não for objetiva. É essa uma das razões pela qual o grafite é considerado arte.


 Através desta linguagem a paisagem urbana vai mudando de fisionomia, influenciando inclusive no comportamento social. Cores e concreto traduzem a vida de seus habitantes. Os trabalhos são feitos para que as pessoas olhem, reflitam e até interfiram.

Grafite e seus aliados...

Postado por Juliano / Tayla on 20:41 comentários (0)

Com passar dos anos o grafite foi evoluindo de apenas marcas para técnicas de desenhos. No Brasil, o grafite foi introduzido em 1970, em São Paulo. O precursor dessa arte foi Alex Vallauri, outro famoso é Juneca que foi casado por Janio Quadros por se expressar politicamente.
Otávio e Gustavo Pandolfo

O grafite teve um grande aliado o metrô, pois os artistas sabiam que pintando um vagão ele passaria por varias localidades divulgando assim seus trabalhos.
O artista Superkool 223 descobriu que ao usar bicos de perfumes, venenos e outros produtos o traço poderia variar se tornando mais espesso ou mais fino. Nos dias de hoje, os Fat Caps (grossos) e os Thin Caps (finos) são vendidos por revistas especializadas em Grafite.
Nina

Nos anos 80, o impulsionador do grafite foi o cinema servindo assim como guia para outros interessados de outros continentes.
Importante salientar alguns artista como:
Super Kool 223
Stay High 149
Topcat 126, Barbara
Eva 62
Lee 163d
Phase II
Tracy 168
Julio 204
Taki 183
Lady Pink


Dondi
Futura 2000
Blade
Fab 5 Freddy

História do Grafite

Postado por Juliano / Tayla on 19:45 comentários (0)

     Pode –se dizer que o inicio do grafite, sem duvida foram os desenhos feitos nas paredes das cavernas. As pinturas rupestres são os primeiros exemplos de grafite que encontramos na historia da arte. Elas representam animais, caçadores e símbolos muitos dos quais, ainda hoje, são enigmas para os arqueólogos, mas que de fato são significantes aos seres daquele contexto, como uma forma de expressão ou talvez transcrição do momento histórico. Não sabemos exatamente


o que levou o homem das cavernas a fazer essas pinturas , mas o importante é que ele possuía uma linguagem simbólica própria. Nessa época os materiais naturais utilizados eram terras de diferentes tonalidades, sucos de plantas, ossos fossilizados ou calcinados, misturados com água, gordura de animais e carvão. Nos tempos atuais usamos tintas em spray ou mesmo em latas e não pintamos cervos e bisões, mas sim idéias , signos, que passam compor o visual urbano, talvez o contexto atual, decorrente de uma evolução, participante da arte também.

      Possuem vestígios de grafite nos períodos do Império Romano.

    Alguns artistas colocam que o grafite surgiu em 1968, na França, com manifestações políticas estudantis, outros afirmam que ela surgiu em 1970, em  Nova Iorque no Estados Unidos,ligadoss diretamente ao Hip Hop. O importante é que o Grafite é contemporânea.

Grafite ou Pichação, qual é arte?

Postado por Juliano / Tayla on 20:50 comentários (0)

Grafite vs Pichação

Postado por Juliano / Tayla on 19:20 comentários (0)